• Heloísa Mendes de Siqueira

Refletindo sobre as sombras internas

Updated: May 14

“O homem gosta de se acreditar como Senhor de sua alma, mas enquanto for incapaz de reconhecer os seus humores e emoções ou se tornar consciente das inúmeras maneiras secretas pelas quais os fatores inconscientes se insinuam nos seus projetos e decisões, certamente não é seu dono.” Jung.


Sombra e Luz

Durante uma conferência com vários universitários, um professor da Universidade de Berlim desafiou seus alunos com a seguinte pergunta: "D’us criou tudo que existe?" Um aluno respondeu valentemente: “Sim, Ele criou”.. “D’us criou tudo?”, perguntou novamente o professor. "Sim senhor", respondeu o jovem. O professor continuou, "Se D’us criou tudo, então D’us fez o mal! Pois o mal existe, e partindo do preceito de que nossas obras são um reflexo de nós mesmos, então D’us é mau." O jovem ficou calado diante de tal argumento e o professor, feliz, se regozijava de ter provado mais uma vez que a fé era um mito. Outro estudante levantou a mão e disse: "Posso fazer uma pergunta, professor?" "Lógico", foi a resposta. O jovem ficou de pé e perguntou: "Professor, o frio existe?" "Que pergunta é essa? Lógico que existe, ou por acaso você nunca sentiu frio?" O rapaz respondeu: "De fato, senhor, o frio não existe. Segundo as leis da Física, o que consideramos o frio, na realidade é a ausência de calor. Todo corpo ou objeto é suscetível de estudo quando possui ou transmite energia. O calor é o que faz com que este corpo tenha ou transmita energia. O zero absoluto é a ausência total e absoluta de calor. Todos os corpos ficam inertes, incapazes de reagir, mas o frio não existe. Nós criamos essa definição para descrever como nos sentimos se não temos calor." "E, existe a escuridão?", continuou o estudante. O professor respondeu: "Existe". O estudante respondeu: "Novamente comete um erro, senhor, a escuridão também não existe. A escuridão na realidade é a ausência de luz. A luz pode ser estudada, a escuridão não! Até existe o prisma de Nichols para decompor a luz branca nas várias cores que a compõe, com suas diferentes longitudes de ondas. A escuridão não! Um simples raio de luz atravessa as trevas e ilumina a superfície onde termina o raio de luz. Como pode saber quão escuro está um espaço determinado? Com base na quantidade de luz presente nesse espaço, não é assim? Portanto a escuridão é uma definição que o homem desenvolveu para descrever o que acontece quando não há luz presente" Finalmente, o jovem perguntou ao professor: "Senhor, o mal existe?" O professor respondeu: “Lógico que existe, como disse desde o começo, é só ler as manchetes: vemos ações terroristas, crimes e violência no mundo o tempo todo”. E o estudante respondeu: "O mal não existe, pelo menos não existe por si mesmo. O mal é simplesmente a ausência do bem, como nos casos anteriores, o mal é uma definição que o homem criou para descrever a ausência de D’us. D’us não criou o mal. Não é como a fé ou como o amor, que existem como existem o calor e a luz. O mal é o resultado da humanidade não ter D’us presente em seus corações. É como acontece com o frio quando não há calor, ou a escuridão quando não há luz." Por volta dos anos 1900, este jovem foi aplaudido de pé, e o professor apenas balançou a cabeça permanecendo calado. O diretor dirigiu-se àquele jovem e perguntou qual era seu nome. E ele respondeu: “Albert Einstein.”


Considerando que:

“O pensamento é o alicerce da Vida. Ele direciona a nossa forma de ver o Mundo.” Emannuel


É através do pensamento que o indivíduo busca a liberdade ou “o controle de sua prisão mental.” (Sócrates)


“São os hábitos mentais que trazem riqueza de saúde, satisfação e realidades morais mais elevadas. Pensamentos e sentimentos são formas de razão.’


Pensando todas estas pinceladas do Universo e observando que a neurociência, a física quântica, a biologia comprovam não só o pensamento, os sentimentos e também as práticas espirituais provocam mudanças químicas, consequentemente elétricas e magnéticas. E que a partir destas forças acabamos vibrando em uma sintonia capaz de dirigir nossa vida a situações que nós mesmos criamos pelos nossos pensamentos.


É importante pensar que é uma ilusão achar que é possível viver apenas nas vivências positivas e virtudes e esquecer a dica de Einsten. Ou achar que tem total domínio sobre si e esquecer da dica de Jung, principalmente em momentos de intensos, como estamos vivendo em 2020.


Pelo ponto de vista espiritual o homem é uma forma inteligente que pratica, ou experimenta na oportunidade da vida material, o exercício e domínio destas energias. Eventualmente não temos esta consciência, pois não aprendemos de forma acessível como ir para escola, executar tarefas diárias, respirar, comer..... estas informações temos que buscar. As informações estão espalhadas na filosofia, nas terapias complementares, livros, psicoterapias, processos de autoconhecimento. E o que fazemos com ela?


Acrescento aqui as dicas da homeopatia clássica que é orientada por quatro princípios:

1. Lei dos semelhantes - estabelece que uma doença específica pode ser curada pela substância capaz de reproduzir os mesmos sintomas da doença.

2.Experimentação no homem são e sensível. Você não espera vir o problema, se observa e vai agindo internamente para adquirir o que precisa. Se autoconhecendo você cria o preparo e mantêm o espírito preparado e pronto para alguma emergência.

3. Princípio Doses infinitesimaispara não intoxicar e estimular a reação orgânica.

4. Princípio do medicamento único, o paciente deverá tomar o medicamento que contenha o maior número de estímulos para os sintomas que o paciente apresenta.


Se a cada situação que se confrontar com emoções básicas de raiva, medo e tristeza, você praticar o princípio da homeopatia clássica.

Utilizando a raiva em pequenas doses (infinitesimais e diariamente) como combustível de conquistas pessoais, tentando provar ao outro que está enganado ao seu respeito e mostrando o melhor do que você é.

Utilizando o medo, não o medo reativo que em boa dose te ajuda a sobreviver como vivemos, mas o medo que te paralisa, que ativa a procrastinação, que te faz pensar: “o mundo é assim, ou nada dá certo, eu sou....” E usá-lo em pequenas doses de busca de novas oportunidades, como guia para novos conhecimentos, como luz para novos caminhos, você utilizará “o medicamento como um estímulo para os sintomas que você apresenta”.

E utilizar a tristeza, para seu recolhimento interior, para a revisão de suas atitudes, para liberar da casa interna aquelas atitudes ou pensamentos que já não lhe servem mais e construindo diariamente seu novo templo interior, fazendo dele um santuário sagrado onde você constrói internamente o mundo que busca viver externamente (Experimentação no homem são e sensível).


Pense nisto.


Fontes:

Curso de Introdução a Psicologia de Joanna de Angelis, TV Amergs.

Curso Emoções – ICI

Curso Neurociência e Espiritualidade – Unespírito

Livro Vigiai e Orai – Carlos A. Baccelli – Irmão José

Wikipédia e Google


E complemento com parte do texto de hoje – 06 de abril do livro O chamado de Jesus – Encontrando a paz em sua presença

“Quando você mantém o foco no que não possui ou em situações que o desagradam, sua mente também obscurece. Você ignora o valor da vida, da salvação, do sol, das flores e de várias outras dádivas que lhe dou. Olha para o que está errado e se recusa a aproveitar a vida até que tudo esteja ‘certo’”. (Salmos 116:17; Gênesis 3:2-6; 1 João 1:7)



Helô Siqueira

Apaixonada por Inspirar o Outro

"Acredito fortemente que a Vida é um laboratório da Alma e quanto mais estudo, mais tenho certeza disto."

O Coaching foi um caminho para aplicar de forma consistente e eficaz o conhecimento que venho arquivando há alguns anos, que aplico diariamente em minha vida e para ajudar que outras pessoas pudessem olhar sua Vida com plenitude, independência e confiança.

Executive Coach e Life Coach

coaching@iphormee.com

Recent Posts

See All